v. 12, n° 23 (jul-dez/2018)
O número 23 da Revista Viso apresenta vinte e seis artigos que integraram o IX Encontro do GT de Estética da ANPOF, realizado no Instituto Moreira Salles, no Rio de Janeiro, entre os dias 22 e 24 de maio de 2018.
v. 12, n° 22 (jan-jun/2018)
O número 22 da Revista Viso apresenta dez artigos originais sobre autores tais como Rancière, Nietzsche e Adorno, além de ensaios sobre a recepção do Poética de Aristóteles, com base em análises de obras de Beckett, Pasolini e Herzog, entre outros. A edição contém ainda tradução para o influente artigo “O que é arte pública?”, de Hilde Hein.
v. 11, n° 21 (jul-dez/2017)
O segundo número de 2017 contém nove artigos originais que tratam, entre outras, de obras de Kafka, Burroughs e Haroldo de Campos a partir de pensadores tais como Benjamin, Lukács e Adorno. A seção Atualidades apresenta artigo de Rodrigo Duarte sobre as relações entre arte e democracia.
v. 11, n° 20 (jan-jun/2017)
O primeiro número de 2017 dá continuidade à proposta de organizar volumes temáticos sob a responsabilidade de um curador. O número 20, organizado por Cíntia Vieira da Silva, é consagrado ao tema das estéticas da diferença.
v. 10, n° 19 (jul-dez/2016)
Comemorando o seu décimo ano de existência, a Revista Viso apresenta vinte e dois textos originalmente apresentados no VIII Encontro do GT de Estética da ANPOF, realizado na Escola de Minas, em Ouro Preto, entre os dias 01 e 03 de junho de 2016.
v. 10, n° 18 (jan-jun/2016)
O primeiro número de 2016 contém artigos que discutem obras de Wenders, Pavese e Bass, entre outros, à luz de autores tais como Heidegger, Derrida e Benjamin. O volume contém ainda uma tradução para o célebre poema O século de Luís, o grande, de Charles Perrault, bem como duas leituras críticas, na seção "Atualidades", acerca da peça Labirinto, de Alexandre Costa e Patrick Pessoa.
v. 9, n° 17 (jul-dez/2015)
No segundo número de 2015, a Revista Viso inaugura uma nova forma de organização de conteúdo. Trata-se de um volume temático, sob a responsabilidade de um curador, que propõe o tema e convida articulistas que sabidamente têm interesse no tema. O número, 17, organizado por Bernardo Barros Oliveira, é dedicado ao tema da narrativa.
v. 9, n° 16 (jan-jun/2015)
No primeiro número de 2015, a Revista Viso apresenta sete artigos originais onde obras de Hitchcock, Lynch e Berio, entre outros, são analisadas &agrav; luz do pensamento de autores tais como Danto, Benjamin e Foucault. A edição contém uma homenagem especial a Gerd Bornheim e a tradução de um breve ensaio de Wim Wenders sobre Bergman.
v. 8, n° 15 (2014)
Comemorando o seu oitavo ano de existência, a Revista Viso apresenta vinte e quatro textos originalmente apresentados no VII Encontro do GT de Estética da ANPOF, realizado na Universidade Federal Fluminense entre os dias 27 e 29 de maio de 2014 e organizado pelo CEFA (Centro de Estudos em Estética e Filosofia da Arte da UFF), braço executivo da linha de pesquisa em Estética da Pós-Graduação em Filosofia da UFF.
v. 7, n° 14 (jul-dez/2013)
Comemorando o seu sátimo ano de existência, a Revista Viso apresenta seis artigos originais sobre cinema, música e literatura a partir de autores tais como Kant, Sloterdijk, Deleuze e Leibniz.Também integram essa edição traduções de textos de Arthur C. Danto e de Nicolas Boileau .
v. 7, n° 13 (jan-jun/2013)
No primeiro número de 2013, a Revista Viso apresenta oito artigos originais sobre cinema, teatro e literatura a partir de considerções de autores tais como Derrida, Benjamin, Adorno e Nietzsche. A seção “atualidades”contém cr&itica; da peça "Horses Hotel", em cartaz no Teatro Oi Futuro do Rio de Janeiro entre os meses de junho e agosto de 2013.
v. 6, n° 12 (jul-dez/2012)
Neste número, a Revista Viso apresenta quatro textos originais sobre Hitchcock, Thomas Mann, Cegrave;zanne e Arthur Danto. A seção inédita “mídia” traz a interpretação dos poemas de Nietzsche, filosófica e musicalmente, por Henry Burnett. A “tradução”contém texto inédito de Hans Blumenberg, traduzido pelo professor Luiz Costa Lima, e artigo de Detlev Claussen, traduzido pelo professor Rodrigo Duarte.
v. 6, n° 11 (jan-jun/2012)
Comemorando o seu sexto ano de existência, a Revista Viso apresenta vinte e três textos originalmente apresentados no VI Encontro do GT de Estética da ANPOF, realizado no Museu de Arte Contemporânea de Niterói entre os dias 23 e 25 de maio de 2012 e organizado pelo CEFA (Centro de Estudos em Estética e Filosofia da Arte da UFF), braço executivo da linha de pesquisa em Estética da Pós-Graduação em Filosofia da UFF.
v. 5, n° 10 (2011)
O décimo número da Revista Viso traz três artigos sobre música, teatro e cinema, abordando autores tais como Shakespeare, Novalis e o filme Cópia fiel, de Abbas Kiarostami. A seção polêmica trata de duas montagens diferentes do ciclo O anel do Nibelungo, de Richard Wagner, e a seção Atualidades aborda a recente montagem da peça Depois do filme, escrita e dirigida por Aderbal Freire-Filho.
v. 4, n° 9 (jul-dez/2010)
A nona edição da Revista Viso apresenta um dossiê sobre literatura contemporânea organizado pelo prof. Felipe Charbel Teixeira, da UFRJ, e ressalta a importância da filosofia alemã para a reflexão estética (aplicada), abordando autores tais como Goethe, Schlegel, Thomas Mann e Nietzsche. A seção "História da estética" é dedicada a Leibniz neste número, que ainda conta com a tradução das "Anotações de Svendborg", de Benjamin.
v. 4, n° 8 (jan-jun/2010)
A oitava edição da Revista Viso apresenta artigos sobre teatro, música e sobre as relações entre estética e fenomenologia, abordando autores tais como Nietzsche, Adorno, Agamben, Merleau-Ponty e Platão. A seção "História da estética" é dedicada a Spinoza neste número, que ainda contém traduções de Hofmannsthal e Husserl e uma resenha de livro recém-publicado sobre J. Guinsburg.
v. 3, n° 7 (jul-dez/2009)
A sétima edição da Revista Viso publica seis artigos originais que são o resultado do Colóquio Gênio, criação, autoria, realizado em parceria com a Escola de Artes Visuais do Parque Lage, nas dependências dessa instituição, entre 3 e 5 de novembro de 2009. Nessa ocasião, foi promovido o debate entre um filósofo da arte e um artista (ou crítico de arte) sobre três temas que desempenharam um papel central para o surgimento da estética compreendida como disciplina filosófica autônoma, tradicionalmente situado na época moderna.
v. 3, n° 6 (jan-jun/2009)
Em sua sexta edição, a Revista Viso traz artigos que mobilizam questões no pensamento de autores tais como Heidegger e Nietzshe a partir de diferentes manifestações estéticas contemporâneas – da poesia de Rimbaud e Juarroz ao cinema de José Mojica Marins, do literatura de Machado de Assis à de André Sant’Anna. A seção História da Estética contém dois ensaios sobre a estética renascentista.
v. 2, n° 5 (jul-dez/2008)
Em sua quinta edição, a Revista Viso traz artigos sobre artistas de diferentes épocas e preocupações estéticas, tais como Richard Serra, Pasolini, Visconti, Spielberg, João Gilberto e Shakespeare. Este número contém também uma resenha para A história invade a cena, coletânea de artigos recentemente publicada a respeito das relações entre o teatro e a história.
v. 2, n° 4 (jan-jun/2008)
A quarta edição da Revista Viso promove um amplo debate sobre um dos maiores fenômenos culturais de 2007: o filme Tropa de elite. Na seção História da Estética, dois artigos de professores do Thomas Institut, em Colônia, discutem o conceito de "estética medieval". A seção principal aborda autores tais como Górgias de Leontinos, Danto, Greenberg e Marcuse.
v. 1, n° 3 (set-dez/2007)
A partir de reflexões a respeito de obras de Kafka, Bacon e Proust, o terceiro número da Revista Viso aborda, em sua seção principal, autores tais como Heidegger, Deleuze e Schopenhauer. A seção História da Estética é consagrada a Plotino. Esta edição conta ainda com uma resenha de Trabalho das passagens, de Walter Benjamin.
v. 1, n° 2 (mai-ago/2007)
Em sua seção principal, o segundo número da Revista Viso traz artigos que tematizam, entre outros, Hölderlin, Lacan, Benjamin, Deleuze e Duchamp. Nesta edição, a seção História da Estética é consagrada a Aristóteles. A seção polêmica discute o "vigor do fascismo tupiniquim" a partir do filme Princesas, do espanhol Fernando León de Aranoa.
v. 1, n° 1 (jan-abr/2007)
O número inaugural da Revista Viso conta, em sua seção principal, com artigos que tematizam as relações entre filosofia e arte analisando autores tradicionais tais como Kant, Nietzsche e Heidegger a partir de obras cinematográficas, dramatúrgicas e literárias. A seção História da Estética é, nesta edição, dedicada a Platão.