Between the Novel and the Representative Poetics: Jacques Rancière and the Modern Fiction
Renan Ferreira da Silva
Universidade de São Paulo (USP)
Sao Paulo, Brazil
FERREIRA DA SILVA, Renan. “Entre o romance e a poética representativa: Jacques Rancière e a ficção moderna ”. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. 12, n° 22 (jan-jun/2018), p. 146-159.
Accepted: 02/28/2018 · Published: 06/30/2018
Entre o romance e a poética representativa: Jacques Rancière e a ficção moderna

Partindo das reflexões de Jacques Rancière a respeito da obra literária do século XIX, esta apresentação pretende discorrer sobre a relação entre os conceitos de ficção e de “efeito de real” investigada pelo filósofo. Ao tomar o romance dito “realista” como paradigma de suas análises, Rancière questionará a noção de “efeito de realidade” postulada por Roland Barthes, aproximando a interpretação do semiólogo àquela dos críticos literários comprometidos com a posição que fundamentou a lógica da representação, cujo alicerce encontra-se na Poética e na Retórica aristotélicas. A poética da representação compreende a ficção como constituída de um enredo baseado na verossimilhança, pautado pelo encadeamento lógico das ações, passando a definir, assim, a obra artística como um tipo de estrutura hierárquica onde as partes devem se subordinar ao todo. Para Rancière, o romance realista foge aos critérios impostos pelo regime representativo. Mais do que um mero excesso descritivo, o romance inverte a sua cosmologia, inaugurando um novo regime poético marcado pela não hierarquia e pela igualdade de gêneros e temas, no qual o “efeito de realidade” aparece, na verdade, como um “efeito de igualdade”, revelando, assim, uma nova “partilha do sensível”.

Palavras-chave:
romance realista; mimesis; literatura; ficção; efeito de realidade
Between the Novel and the Representative Poetics: Jacques Rancière and the Modern Fiction

Starting from Jacques Rancière's reflections on nineteenth-century literary literature, this paper aims to discuss a relation between the concepts of fiction and the "reality effect" investigated by the philosopher. In assuming the so-called "realist" novel as a paradigm of his analysis, Rancière will question the notion of "reality effect" postulated by Roland Barthes, bringing the semiologist interpretation closer to that of literary critics which are committed to the position that underlies the logic of representation, found in aristotelian Poetics and Rhetoric. The poetics of representation comprises fiction as consisting of a plot based on verisimilitude, based on the logical chain of actions, defining the artistic work as a kind of hierarchical structure where the sections must be subordinate to the whole. For Rancière, the realist novel escapes the criteria imposed by the representative regime. More than a mere descriptive excess, the novel reverses its cosmology, inaugurating a new poetic regime marked by non-hierarchy and equality of genres and themes, in which the "reality effect" actually appears as an "effect of equality ", thus revealing a new" partition of the sensible".

Keywords:
realist novel; mimesis; literature; fiction; reality effect