Derrida and Tragedy: Antigone and the Undecidable of Mourning
Bianca Vilhena Pereira
Pontificia Universidade Catolica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)
Rio de Janeiro, Brazil
PEREIRA, Bianca Vilhena. “Derrida e a tragédia: Antígona e o indecidível do luto ”. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. 10, n° 18 (jan-jun/2016), p. 83-94.
Accepted: 11/13/2015 · Published: 07/03/2016
Derrida e a tragédia: Antígona e o indecidível do luto

Em Espectros de Marx, Derrida menciona Hamlet e diz que não falará de outra coisa senão do luto. Antígona não é mencionada nesta obra, porém resolvemos incluí-la em nossa análise, pois, se Derrida, tratando do luto, menciona a tragédia de Hamlet, a trama da peça de Sófocles circula de modo bem claro em torno do tema. Com o objetivo de abordar e elucidar o quase-conceito ou indecidível de luto derridiano, decidimos fazer uma análise das peças Édipo rei, Hamlet e, sobretudo, de Antígona, a partir do quase-conceito. Relacionaremos ainda o tema do luto à primeira parte de Força de lei, onde o filósofo evoca a tarefa da desconstrução como aquela de uma responsabilidade incalculável diante da memória e da herança.

Palavras-chave:
Derrida; luto; tragédia
Derrida and Tragedy: Antigone and the Undecidable of Mourning

In ‘Specters of Marx’, Derrida mentions Hamlet and says he will not speak of anything else but of mourning. ‘Antigone’ is not mentioned in this work, but we decided to include it in our analysis, because, if Derrida, dealing with mourning, mentions the tragedy of Hamlet, the plot of Sophocles´s play circulates very clearly around the theme. In order to approach and elucidate the quase concept or undecidable of mourning from Derrida, we decided to analyze the plays Oedipus Rex, Hamlet and above all, Antigone, through the quase concept. We shall relate the theme of mourning to the first part of the ‘Law of force’, where the philosopher evokes the task of Deconstruction as that of an incalculable responsibility in the face of memory and heritage.

Keywords:
Derrida; mourning; tragedy