Proteus’ Metamorphoses
Pedro Süssekind
Universidade Federal Fluminense (UFF)
Niterói, Brazil
SÜSSEKIND, Pedro. “As metamorfoses de Proteu ”. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. 9, n° 17 (jul-dec/2015), p. 70-87.
Accepted: 12/18/2015 · Published: 02/17/2016
As metamorfoses de Proteu

O tema deste comentário é a temporalidade que se constitui nos episódios da Odisseia em que o herói assume a função de narrador e relata seu nostos, seu retorno para casa, na condição de navegante por mares e ilhas desconhecidos. Para estudar esse tema, tomo como referência o trecho do Canto IV em que Menelau narra sua aventura com Proteu, o ancião do mar. Destaco (seguindo indicações de Irene De Jong) alguns paralelos entre esse trecho e a narrativa feita por Ulisses na corte dos feácios, do canto IX ao XII. Por fim, com base em uma metáfora formulada por Adorno, proponho uma leitura alegórica da narrativa de Menelau que ressalta a relação entre o narrador-herói, a verdade e o tempo.

Palavras-chave:
Odisseia; Proteu; Menelau; temporalidade; verdade
Proteus’ Metamorphoses

The subject of this paper is the temporality that takes place in episodes of the Odyssey in which the hero is responsible for narrating his nostos, his return home after adventures at unknown seas and islands. To study this issue, I take as a reference the excerpt from Book 4 when Menelaus recounts his adventure with Proteus, the old man of the sea. I point out (following Irene De Jong) some parallels between this passage and the narrative made by Ulysses at the court of the Phaeacians, in Books IX to XII. Based on a metaphor formulated by Adorno, I propose an allegorical reading of Menelaus narrative that emphasizes the relation between the hero as a narrator, the truth and different conceptions of time.

Keywords:
Odyssey; Proteus; Menelau; temporality; truth