Estética como fisiologia aplicada em Nietzsche
Renato Nunes Bittencourt
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Rio de Janeiro (RJ)
NUNES BITTENCOURT, Renato. “Estética como fisiologia aplicada em Nietzsche”. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. 4, n° 8 (jan-jun/2010), p. 121-143.
Aprovado: 02/02/2010 · Publicado: 10/07/2010
Estética como fisiologia aplicada em Nietzsche

A proposta deste artigo consiste em pensarmos a relação intrínseca que Nietzsche estabelece entre a estética e a compreensão orgânica da vida humana, associada diretamente a uma perspectiva fisiológica. Cabe ressaltar que a noção de fisiologia em Nietzsche não se fundamenta em parâmetros puramente biológicos ou materiais, mas envolve todos os atos criativos do indivíduo. Por conseguinte, para compreendermos de forma precisa a realização da criatividade artística é de suma importância que se faça valer a importância da fisiologia do artista no processo de elaboração da obra de arte. Onde os instintos vitais se encontram em declínio existencial, haverá uma obra de arte decadente; onde os instintos vitais manifestam exuberância, capacidade de assimilação e saúde, haverá uma glorificação da existência através da arte.

Palavras-chave:
Nietzsche; fisiologia; organismo; saúde; romantismo
Aesthetic as Applied Physiology in Nietzsche

The proposal of this article consists in directly thinking the intrinsic relation that Nietzsche establishes between aesthetics and the organic understanding of the human life, associated with a physiological perspective. It is worth mentioning that the notion of physiology in Nietzsche is not based purely on biological or material parameters, but involves all the creative acts of the individual. Therefore, in order to understand the accomplishment of artistic creativity is of utmost importance to stress the importance of the physiology of the artist in the process of elaboration of the work of art. Where the vital instincts are found in existencial decline, there will be a declining work of art; where the vital instincts reveal exuberance, capacity of assimilation and health, there will be glorification of the existence through art.

Keywords:
Nietzsche; physiology; organism; health; romanticism