Zé do Caixão: Humano, demasiado humano
Marko Monteiro
Universidade de Campinas (UNICAMP)
Campinas (SP)
MONTEIRO, Marko. “Zé do Caixão: Humano, demasiado humano”. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. 3, n° 6 (jan-jun/2009), p. 85-99.
Aprovado: 24/04/2009 · Publicado: 14/07/2009
Zé do Caixão: Humano, demasiado humano

O texto propõe uma interpretação do principal personagem do cineasta José Mojica Marins, o notório Zé do Caixão, a partir de um conceitual perspectivista, tendo como pano de fundo a recusa nietzscheana da moral. Centrado numa análise do filmeÀ meia noite levarei a sua alma(1964), no qual Mojica apresenta a origem e a morte do personagem, o trabalho discute algumas opções estéticas do diretor como relacionadas a uma busca de tornar visível a recusa da moral e a vivência da vontade de poder como “continuidade do sangue”. O texto conclui que o gênero “horror” serve, na obra de Mojica Marins, como espaço estético experimental para representar visualmente um personagem cuja ideologia incorpora a recusa do pensamento moralista, buscando tornar inteligível uma zona cinzenta da representação.

Palavras-chave:
cinema; filosofia alemã; Nietzsche; Mojica Marins
Coffin Joe: Human, All Too Human

The article proposes an interpretation of filmaker José Mojica Marins' mais character, the infamous Coffin Joe (Zé do Caixão), from a perspectivist point of view inspired by Nietzsche's critique of morality. Centered on an analysis of the film At Midnight I'll Take your Soul (1964), in which Mojica narrates the origin and demise of the character, the article discusses some of the director's aesthetic options as related to an attempt to make visible the denial of morality and the experience of the will to power as "continuity of the blood". The analysis concludes that the horror genre enables Mojica to create an experimental aesthetic space in which to visually represent a character whose idelogy incorporates the refusal of moralist thinking. He thus attempts to make intelligible a gray area of representation.

Keywords:
cinema; german philosophy; Nietzsche; Mojica Marins