Fogo inextinguível: mostrar a mercadoria
Diego Viana
Universidade de São Paulo (USP)
São Paulo (SP)
VIANA, Diego. “Fogo inextinguível: mostrar a mercadoria”. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. 14, n° 26 (jan-jun/2020), p. 273-301.
Aprovado: 19/04/2020 · Publicado: 04/07/2020
Fogo inextinguível: mostrar a mercadoria

Fogo inextinguível (Harun Farocki, 1969) faz a denúncia do modo de produção do Napalm-b, empregado no bombardeio do Vietnã, e contém uma reflexão sobre a produção do visível. Este artigo visa demonstrar como as duas questões estão estreitamente vinculadas, através de noções como o gesto proletarizado e o fetichismo da mercadoria. Para tanto, recorre às origens da economia política e às influências brechtianas de Farocki. O artigo acompanha o curta-metragem cena a cena, mostrando como Farocki constrói, para além de seu cinema político e do ensaio sobre a natureza do trabalho industrial moderno, uma discussão com a economia política, pelo qual o cinema se revela capaz de explicitar relações sociais que, em seu próprio processo de desdobramento, permanecem veladas. Vê-se assim que os temas e as abordagens que marcam a obra posterior de Farocki já se encontram presentes nesse curta-metragem de juventude.

Palavras-chave:
Harun Farocki; cinema; imagem; fábrica; mercadoria
Inextinguishable Fire: Showing the Commodity

Inextinguishable Fire (Harun Farocki, 1969) denounces the mode of production of napalm-b, used in the bombing of Vietnam, while reflecting on the production of the visible as well. This paper seeks to demonstrate the close link between these two questions, with the aid of notions such as the gesture rendered proletarian and commodity fetishism. To do so, the argument calls upon the sources of political economy, as well as Farocki's Brechtian influences. The paper follows the short film scene by scene, showing how Farocki constructs, beyond his political cinema and the essay about the nature of modern industrial work, a debate with political economy, through which cinema reveals itself as capable of rendering explicit the social relations that, in their own process of unfolding, remain veiled. Thus one sees that the themes and approaches that characterize Farocki's later work are already present in this youth short film.

Keywords:
Harun Farocki; cinema; image; factory; commodity