A luta contra o fetichismo em Angústia, de Graciliano Ramos
Marco Antonio Rodrigues
Universidade de Brasília (UnB)
Brasília (DF)
RODRIGUES, Marco Antonio. “A luta contra o fetichismo em Angústia, de Graciliano Ramos ”. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. 11, n° 21 (jul-dez/2017), p. 129-139.
Aprovado: 15/11/2016 · Publicado: 30/12/2017
A luta contra o fetichismo em Angústia, de Graciliano Ramos

O romance Angústia, de Graciliano Ramos, pode ser interpretado como um novelo de várias pontas. Uma dessas pontas diz respeito à fetichização da sociedade e do sujeito sob a visão do narrador-protagonista Luís da Silva. Sujeito à condição de funcionário-parafuso, Luís da Silva resiste à fetichização, buscando entre pessoas de estrato social mais baixo a resposta para uma existência menos penosa, mas fracassa em sua tentativa ao sucumbir aos desejos de pertencer à classe mais abastada.

Palavras-chave:
fetichismo; burocracia; funcionário; Angústia; Graciliano Ramos; Georg Lukács
The Fight Against Fetishism in Graciliano Ramos' Angústia

The Graciliano Ramos novel Angústia can be read as a yarn ball with a lot of tails. One of these tails concerns the fetishization of society and individual by the first person narrative of Luis da Silva. Like a clerk-bolt, Luis da Silva resists against the fetishization, seeking among people of lower social class the response to a less painful existence, but fails in his attempt succumbing to the desires to belong to the wealthier class.

Keywords:
fetishization; bureaucracy; clerk; Angústia; Graciliano Ramos; Georg Lukács