Febre do rato como deseducação de corpos e discursos: uma interpretação foucaultiana
André Duarte
Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Curitiba (PR)
Dayana Brunetto
Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Curitiba (PR)
DUARTE, André; BRUNETTO, Dayana. “Febre do rato como deseducação de corpos e discursos: uma interpretação foucaultiana ”. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. 11, n° 20 (jan-jun/2017), p. 50-68.
Aprovado: 12/03/2017 · Publicado: 29/06/2017
Febre do rato como deseducação de corpos e discursos: uma interpretação foucaultiana

O texto interpreta o filme Febre do rato, de Cláudio Assis, à luz das concepções foucaultianas sobre a heterotopia, sobre corpos e prazeres como resistência ao dispositivo da sexualidade, bem como sobre as posteridades do cinismo antigo, entendidas aqui como manifestações contemporâneas de resistência aos processos de educação normalizadora de corpos, sexualidades e discursos. Inspirando-nos no filme, estabelecemos uma relação entre as análises foucaultianas sobre as manifestações escandalosas da arte de viver dos cínicos da antiguidade e as formas de atuação de coletivos contemporâneos de inspiração queer, como a Marcha das Vadias, cujas performances corporais exploram a potência do escândalo e do dizer-verdadeiro contra as violências que se abatem sobre mulheres e outras minorias.

Palavras-chave:
Febre do Rato; cinema; Foucault; cinismo; coletivos políticos
Rat Fever or un-educating bodies and discourses: a Foucauldian interpretation

The text interprets the movie Rat Fever, directed by Claudio Assis, thru some Foucauldian notions such as heterotopyas, bodies and pleasures as resistances against the sexual apparatus, and his analysis concerning the posterities of Ancient cynicism, here understood as contemporary political resistances against educational processes aimed at normalizing bodies, sexualities and discourses. Inspired by the film, we establish a relationship between Foucault’s analysis of the Cynics scandalous art of living and the political ways of acting of some queer inspired contemporary collectives, such as the Slut Walk, whose politically embodied performances explore the ethical-political powers of the scandalous truth-saying in denouncing violence against women and other minority groups.

Keywords:
Rat Fever; cinema; Foucault; cinicism; political collectives