Ilhas perdidas: algumas considerações sobre o capítulo “Entre o mar e o continente”, de Marco Antonio Casanova
Fernando Barros
Universidade Federal do Ceará (UFC)
Fortaleza (CE)
BARROS, Fernando. “Ilhas perdidas: algumas considerações sobre o capítulo ‘Entre o mar e o continente’, de Marco Antonio Casanova ”. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. 8, n° 15 (2014), p. 192-200.
Aprovado: 14/08/2014 · Publicado: 31/01/2015
Ilhas perdidas: algumas considerações sobre o capítulo “Entre o mar e o continente”, de Marco Antonio Casanova

O breve texto que se segue visa a comentar o capítulo “Entre o mar e o continente”, de Marco Antonio Casanova. Implicando passar em revista importantes pontos teóricos de sustentação – cujas referências vão de Nietzsche a Heidegger –, mas também movimentos artísticos contemporâneos de suma relevância – como, por exemplo, a “act painting” praticada por Pollock –, o texto que se nos ofereceu à leitura acumula desafios extremamente instigantes. Obrigando-nos a repensar os desempenhos de nosso sistema perceptivo, bem como a nossa relação com o passar do tempo, o problema que ele nos propõe deixa-se resumir numa pergunta lapidar, a saber: qual é a relação entre a arte abstrata e o modo contemporâneo de existência?

Palavras-chave:
temporalidade; pintura de ação; instante; existência
Forgotten Islands: Some Notes on the Chapter “Between sea and continent”, by Marco Antonio Casanova

The following short piece aims at commenting Casanova’s chapter entitled “Between sea and continent”. Inspecting important theoretical points of definition – whose references go from Nietzsche to Heidegger –, as well as highly significant contemporary art movements – like Pollock’s “act painting”, for instance –, the text read by us put up extremely intriguing challenges. Impelling us to rethink the performances of our perceptive systems, as well as our relationship to time itself, the problem which it poses can be summed up as follows: what is the relation between abstract art and contemporary mode of existence?

Keywords:
temporality; act painting; instant; existence