“Eu cometi o ato”: sobre o trágico no Macbeth de Shakespeare
Theo Fellows
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Rio de Janeiro (RJ)
FELLOWS, Theo. “‘Eu cometi o ato’: sobre o trágico no Macbeth de Shakespeare”. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. 5, n° 10 (2011), p. 70-84.
Aprovado: 05/04/2012 · Publicado: 19/04/2012
“Eu cometi o ato”: sobre o trágico no Macbeth de Shakespeare

Tendo como base interpretativa as formulações do conceito de tragicidade, desenvolvidas pelo idealismo alemão a partir de Schelling, este ensaio pretende estender uma ponte entre os desdobramentos filosóficos deste conceito e as suas manifestações na tragédia propriamente dita. Isto significa não somente compreender como o trágico, conceito filosófico, estabelece suas origens na obra de arte tragédia, mas também a possibilidade da própria obra ser tomada como objeto para o pensamento. Saindo das tragédias gregas, que serviram de base para a construção da filosofia do trágico no idealismo alemão, tomamos uma tragédia shakespeariana como referência, no intuito de explorar novas formas de tragicidade ainda não profundamente investigadas pela filosofia.

Palavras-chave:
Shakespeare; tragédia; trágico
“I've Done the Deed”: On Tragic in Shakespeare's Macbeth

Based on the formulations of the concept of tragic, developed by German idealism since Schelling, this article intends to extend a bridge between the philosophical ramifications of this concept and its manifestation in the tragedy itself. This means understand not only how the tragic, as philosophical concept, establishes its origins in tragedy – here understood as an art form – but also the possibility of the tragedy itself be taken as an object for speculations. Leaving the field of Greek tragedies, which were the basis for the construction of the philosophy of tragic in German idealism, we decide to take a Shakespearean tragedy as reference, in order to explore new views over tragic still not deeply investigated by philosophy.

Keywords:
Shakespeare; tragedy; tragic